Na Prática

Digital ou out of home, qual a melhor?

Na imagem, o banner de blog com a campanha Caia na Real, em uma versão alternativa para o digital.

Recentemente foi veiculada uma campanha questionando a realidade do digital, convidando as empresas a voltarem seus olhos para a mídia Out of Home. É a campanha Caia na Real, da Central de Outdoor.

 

Fomos impactados!

 

Mas vamos além… Nosso dever é trazer o questionamento ainda mais afundo: Será o virtual uma ferramenta ineficiente e artificial de publicidade? Seria o out of home a melhor ferramenta para ações online? Chega de perguntar: Vamos falar um pouco sobre isso.

O digital é real?

Está todo mundo ali no digital. É impossível afirmar que as pessoas não ficam na internet e fazem cada vez mais coisas no ambiente digital. É pagamento de boletos, reservas de viagens, gerenciamento de tarefas de sua empresa, entre milhares de outras funções.

Na imagem, a campanha Digitau, para apresentar as opções online do Banco Itaú.

 

O Itaú, inclusive, foi o pioneiro na inovação digital dos bancos. Olha ele bem faceiro usando um outdoor dentro de um VT da TV pra se reposicionar como banco digital. Convergência de mídia marcou presença:

 

 

Wearable, pulseira para transações digitais lançada pelo Santander.Olha só o Santander inovando, apresentando wearables como alternativa às transações digitais nos aparelhos celulares. Você já deve ter visto o VT no intervalo do #BBB18, mas se quiser ver a notícia no G1, aqui o link: https://goo.gl/UN3nUw

E tem mais: a internet não é terra sem lei! A medição de estatísticas está cada vez mais precisas e a tecnologia consegue identificar robôs, fornecendo apenas os dados de pessoas reais. Qualquer atitude ou ação suspeita por parte de um usuário, será bloqueado. Existem leis, diretrizes e instituições de apoio.

Já deu pra notar que a internet é muito mais que o Facebook ou outra rede social, apesar de se ter um consumo grande de conteúdo nesses locais. Pesquisas indicam que 72% das pessoas afirmam que posts nas redes sociais são a principal forma de consumo de conteúdo, 76% usa para achar conteúdo interessante e 63%, utiliza as redes sociais como forma de contato com uma empresa. Estamos conectados.

Se “penso, logo existo”, quando “conecto, logo sou real“.

Veja alguns dados bacanas sobre as redes sociais clicando aqui.

Robôs do bem x robôs do mal

O digital é real! A questão é a forma como você o utiliza. Se sua empresa contrata pessoas que vendem likes, comentários e compartilhamentos, não vai dar muito resultado. Mas, se ela vende relacionamento, engajamento e interação, é bem possível que dê certo. Temos que ter em mente que tudo depende de como se trabalha.

E o principal, a tecnologia da informação está a nosso favor. Século XXI, né?! Os dados gerados estão cada vez mais sincronizados, fenômeno chamado de big data, e é disso que a internet e a mídia online vive. A segmentação específica é completamente baseada em dados que cada usuário emite. É uma questão de informação, de conhecimento, de inteligência artificial e de um aprendizado obtido a partir de cada usuário que aprimora 100% a mídia, transformando-a em programáticaAlgoritmos estão aí pra isso. Você vai ver o que você gosta de ver, mesmo que eu esteja pagando pra isso.

 

O robô do mal, que é o robô que finge ser um usuário, está sendo extinto a cada mapeada que os buscadores ou fiscais fazem na interwebs – fique tranquilo! Já ouviu falar das Políticas de Uso das redes sociais, ou do Google, por exemplo? Não é aceito qualquer usuário que não seja real, com exceção de que seja empresa, organização ou entidade. E digo mais, se você usa robôs do mal na sua estratégia, fique atento: em breve, você cairá na malha fina, e os fiscais não são como os auditores da Receita Federal – eles não perdoam.

 

O Out of Home é Real?

Com certeza! A mídia de grande impacto ainda é relevante para campanhas. Para quem não sabe o que é, são os tipos de mídia que você enxerga na rua. Outdoors, banners, faixas, totens, placas, relógios, entre outros, se encaixam aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja esta campanha incrível da Nutree clicando aqui.

Como as pessoas passam grande parte do seu tempo fora de casa, é sim uma boa forma de impactar o público. Geralmente essas peças tem o objetivo de fazer o consumidor lembrar de sua marca, ou também chamado de brand awareness.

A efetividade dessa mídia está no fato de estar em todo o lugar em que as pessoas passam. Isso é uma grande arma, pois as pessoas vão enxergar em aeroportos, shoppings, praças, avenidas e toda a cidade.

O grande diferencial dessa mídia é o custo reduzido de investimento. Se utilizar o Mídia Out Of Home com um planejamento estratégico, os impactos podem ser até maiores do que o digital ou a TV nos melhores horários. Ela tem alcance de audiência em massa, ótima frequência, flexibilidade de localização, é fácil de implantar e consegue pode ser muito dinâmica e criativa.

Você se lembra do painel da Coca-cola na Times Square? Ele se caracteriza como OOH, e foi incrível!

 

Para as métricas, foi lançado ano passado no Brasil, o guia de métricas únicas de alcance e frequência para a mídia out of home. Ele vai analisar e chancelar duas metodologias de estatísticas: o Mapa OOH, criado por uma associação composta por empresas do setor de out of home, e a auditoria OOH do Instituto Verificador de Comunicação (IVC).

Como se viu, o OOH ainda tem muita relevância e pode ser usada de forma bem efetiva no seu plano de comunicação.

Digital x OOH: mas qual dos dois é melhor?

Felizmente, não há melhor ou pior. Como cada uma das mídias existententes (rádio, TV, jornal, revista), o digital e o out of home tem suas funções. Não podemos excluir uma delas e usar somente a outra.

O digital vai até onde a pessoa está, ali no meio da navegação. Está no conteúdo, no e-mail, nos sites, nas redes sociais. Leva sua mensagem para quem está conectado.

O out of home está nas ruas, nos lugares, por onde quer que as pessoas passem. As pessoas vão passar em frente a mídia e ler sua mensagem. Com isso, elas vão guardar sua mensagem e quem sabe, até participar de ações indicadas no anúncio.

 

Mas, ao colocar as duas na sua estratégia de comunicação e usar a parte boa de cada uma, é que elas brilham. Tudo vai depender da equipe de marketing da sua empresa. Se for uma empresa série e com conhecimento das mídias, vai saber usar cada uma, sem extinguir a outra. Planeje!

 

Outra coisa: o digital não vai matar o Out of Home, nem outra mídia. Cada uma vai continuar fazendo a sua parte. Não tenha medo! Lembra que falaram que a TV iria acabar com o rádio? Pois é, foi apenas um medo bobo. As duas estão aí, firmes e fortes. O e-mail não iria acabar com os Correios? Pois ambos estão aí, cumprindo sua função. Tá, o Correio deu uma bela piorada, mas ainda continua na ativa. Qualquer tipo de publicidade é real, desde que tenha alguém responsável e experiente fazendo isso da forma certa.

 

E aí, concorda ou sem corda?

Conta pra gente! Queremos te ouvir! 🙂

 

Ah, e obrigada à Central de Outdoor pelo outdoor e pelos presentes! Sucesso! 😉

Na imagem, o pessoal da Rede Outdoor com a campanha Caia na Real, em visita à nossa agência.

Até a próxima.


Agora que falamos sobre isso, que tal saber alguns dados sobre consumo nas redes sociais?

Ou ainda essas 20 estatísticas sobre as redes sociais?

Pra fechar com chave de ouro, você pode baixar um e-book de graça sobre tudo o que vai bombar em 2018 no digital.

Na imagem, o ebook amblard AMB Trends 2018.

Facebook Comments

Tags:

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This