Na PráticaPublicidadeRotina

Conheça as características das agências do futuro

Vivemos a era pós-digital. Estamos conhecendo a “internet das coisas”. Nunca antes na história as pessoas tiveram tanto acesso a informação como agora. Tudo e todos estão cada vez mais conectados.

Os consumidores agora estão mais exigentes, impacientes, sedentos por informações genuinamente relevantes. Fazem parte da geração Z, os conhecidos “nativos digitais”, que estão se tornando a maioria da massa consumidora. Querem saber das novidades em tempo real, querem resposta em poucos minutos, querem ver os memes mais recentes no feed das marcas.

Isso cria um novo cenário para os negócios, e passa a exigir das agências novas formas de interação. O velho modelo, que se baseava em inúmeras idas e vindas de peças para aprovação, não cabe mais nessa realidade. E sabe por que? Não temos mais tempo pra isso.

Neste post vamos discutir um pouco mais sobre as novas características do mercado, e traçar o perfil das agências do futuro: mais rápidas, fluídas e antenadas. Vem com a gente!

O mercado está mudando e as agências precisam mudar também

É fato que a publicidade e o marketing não são mais os mesmos. A forma como as pessoas consomem informação passou de passiva para participativa. Elas querem fazer parte das histórias das marcas, querem dar suas opiniões e serem ouvidas, querem se reconhecer nos produtos. Agora não falamos mais em propagar uma ideia, falamos em compartilhar ideias, dialogar.

Por isso a dinâmica das agências mudou. Agora o caminho não é mais enviar peça por peça para o cliente aprovar antes de ser publicada. Definida uma campanha, as agências precisam ter autonomia para seguir com suas próprias pernas, sem depender do cliente como antes.

Isso porque, essa nova forma de interagir exige mais agilidade no processo de entrega da informação. O volume de conteúdo gerado pelas agências é muito maior. A validade dos memes passa rápido, e um segundo de atraso pode acabar com a ideia. Ou seja, já não temos mais tempo para tanto vai-e-volta.

É claro que isso faz aumentar, e muito, a responsabilidade da agência em relação à campanha e seus resultados. Mas é um passo que precisa ser dado. Isso exige muito mais dedicação e conhecimento sobre o cliente, o seu mercado e o seu target.  Ninguém falou que seria fácil, mas assim é ainda mais gratificante.

É preciso olhar para os recursos disponíveis de forma diferente

Embora úteis, os recursos para anúncios oferecidos pelas plataformas de mídias sociais, não são efetivos por si só. É preciso ter uma estratégia mais ampla por trás de cada campanha.

As pessoas não entram nas redes sociais para receber ofertas, propagandas, anúncios etc. Elas estão lá para se relacionar, receber informação, compartilhar coisas, se distrair. Os anúncios são, na maioria das vezes, meros intrusos.

É preciso adequar as estratégias às expectativas desse público, criando anúncios que não sejam anúncios. Se é conteúdo, diálogo, distração que as pessoas querem, é isso que temos que oferecer a elas. É assim que a gente tem que vender os produtos e serviços. As agências do futuro já têm essa expertise.

Sistemas de inteligência artificial devem fazer parte da rotina

Como falamos até aqui, tempo é o ativo mais precioso e raro das agências. Por isso, a automação de tarefas é algo que não pode faltar. Envios de e-mail marketing e resposta a contatos online, são exemplos do que já é amplamente explorado por essa tecnologia. Mas suas funções não param por aí. No futuro será possível, inclusive, realizar orçamentos de campanhas no Google, Facebook e Instagram, por exemplo, de forma automática.

Capacidade de adaptação é essencial

Outro diferencial encontrado em agências que pensam à frente e estão preparadas para os desafios do futuro é a flexibilidade. Lidar com as rápidas mudanças do mercado é essencial para se manter viva.

É preciso ter resiliência para encarar as constantes novidades. Em pouco tempo, consumidores mudam de comportamento, ferramentas entram em desuso, novas plataformas surgem. Se adaptar com rapidez aos fatores externos é, talvez, uma das mais importantes habilidades que uma agência deve ter.

É importante escolher uma agência com know how no assunto

Com a dinâmica do mercado digital em constante mutação, escolher uma agência preparada para enfrentar os desafios é fundamental. Até porque, a autonomia necessária para o bom desempenho da função é inegociável. Essa segurança só é transmitida pelas  empresas que possuem um portfólio com cases de sucesso.

Vale a pena pesquisar sobre a agência antes de contratá-la. Avaliar sua presença nas redes sociais é um primeiro passo. Outra estratégia é acessar as páginas dos clientes. Assim é possível conhecer os resultados que ela está gerando digitalmente. Se está dando certo com os outros, as chances de se repetir com o seu negócio são grandes.

E você, é uma agência do futuro, que está preparada para enfrentar os desafios de forma dinâmica, ou um cliente em busca de uma dessas agências?

Não importa de que lado você está, conhecer sobre o assunto aumentará sua bagagem para seguir no caminho certo. Se precisar de ajuda nessa jornada, conte com a gente. Somos ON. Somos OFF. Somos Digitais. Somos Amblard.

_____________

Para continuar recebendo conteúdos relevantes para o seu crescimento profissional, assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo de interessante que rola por aqui.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Translate »
Share This