Publicidade

7 tendências do marketing digital que você tem que saber

Na imagem, um rapaz monitora as tendências do marketing digital.

Se há vinte anos atrás, o ditado “tudo muda” já era uma grande realidade, hoje em dia, muito mais. Tudo muda e o tempo todo. Se 2017 já foi um ano corrido e cheio de novidades, isso tende a ser ainda mais em 2018. Por isso, você tem que ir se preparando com essas 7 tendências do marketing digital.

 

 

  1. Complexidade crescente

O marketing está cada vez mais complexo, devido ao aumento da tecnologia que é uma resposta direta às necessidades das estratégias feitas e a busca por resultados melhores. Afinal de contas, todos os dias temos novas redes, métricas, fórmulas, entre outras coisas.

Veja por exemplo os anúncios no Google, ou no Facebook, que oferecem cursos para que as pessoas aprendam como utilizá-las corretamente. São centenas de formatos, tipos de mídia e por aí vai. E pra finalizar, vai ter que dominar ainda ferramentas de automação de marketing para gerenciar campanhas, agendar posts, entre outras coisas.

 

 

  1. Tecnologia no marketing

Essa é uma área em crescente expansão. Nos últimos 5 anos foram investidos mais de 134 bilhões de dólares em startups dessa área também chamada de Martech. Essa área busca criar um modelo que consiga gerenciar de forma unificada de múltiplos canais de venda. Isso, com informações específicas por canal do consumidor, com comportamento de compra, experiências com produtos, de acordo com o perfil de consumo de cada usuário.

Dentro da Martech estão o marketing B2B, B2C e a tecnologia da publicidade, que juntos criam esse gigante iceberg cheio de desafios.

 

 

  1. Algoritmos, algoritmos, algoritmos

Quando as redes sociais surgiram era tudo muito simples. Twitter era lugar de desabafar, Instagram era lugar de postar fotos bonitas e o LinkedIn era sobre vagas de trabalho. Mas, tudo mudou.

A importância que elas tomaram na vida das pessoas, acabaram atraindo as marcas que buscam seguidores, valores, leads. E isso está se tornando rentável para as empresas que precisam investir nas redes para conseguir a atenção de seus clientes. Isso de deve ao avanço das mídias sociais e os smartphones que são praticamente parte do corpo humano.

Toda essa paixão e acessos geram dados que precisam ser analisados e nada melhor que máquinas com seus algoritmos para gerenciar e organizar isso de forma rápida, lógica e eficiente. Tudo isso para atingir o mercado-algo de forma mais eficiente, gerando resultados mais certeiros.

Só para se ter uma ideia, só no YouTube são 5,97 milhões de horas assistidas, no Facebook são postadas 4,3 bilhões de mensagens, no Instagram são postadas 67 milhões de imagens a cada 24 horas.

>> Veja alguns dados sobre consumo das mídias sociais em 2017 clicando aqui.

>> Veja o relatório completo no nosso e-book: baixe agora.

 

 

  1. Plataformas e Aplicativos

Estamos saindo de um mundo dominado por sites e entrando na era dos aplicativos. Já é uma realidade: passamos 86% do nosso tempo em aplicativos no smartphone, como WhatsApp e Facebook.

Grandes geradores de conteúdos e sites de e-commerce estão investindo em aplicativos de conversa e plataformas próprias para prender ainda mais os seus públicos-alvo. Isso gera fidelidade e um tempo maior de visualizações, além de ter a liberdade de comercializar espaços comerciais, sem depender das marcas dominadoras da área.

 

 

  1. Inteligência Artificial

Os chatbots são o primeiro uso da AI prática no marketing digital. Utilizamos as suas habilidades para lidar em conversas preliminares e poder filtrar as solicitações, dando direções sem a necessidade de uma interação humana.

Mas, isso é só o começo. As possibilidades que isso abre para o atendimento automatizado e inteligente é sem limites.

 

 

  1. Vídeos

É possível perceber por meio de estatísticas que os vídeos continuam firmes e fortes como a mídia que dá mais resultados. O desafio fica por conta de como passar as mensagens que se deseja e como conseguir dar ainda mais resultados.

A forma como enxergamos os vídeos agora é de forma silenciosa e com legendas, na própria timeline. Muitas vezes sequer temos tempo para ouvir o áudio do conteúdo.

 

 

  1. Marketing por meio de influenciadores

As propagandas invasivas que entravam no meio da programação sem avisar está com os dias contados. O consumidor está cansado de ser interrompido com anúncios. Os bloqueadores de anúncio estão presentes em quase todos os navegadores, enquanto isso, os influenciadores continuam a se destacar.

Atualmente, as pessoas preferem ouvir referências de amigos, familiares, pessoas próximas. A experiência pessoal conta muito mais que um anúncio. Por isso, os influenciadores online costumam ser uma ótima forma de convencer as pessoas a adquirirem produtos. O público se sente próximo dessas pessoas e tendem a ouvir suas indicações.

Isso vale para dois tipos de público, o B2C usado no reconhecimento e construção da marca e no B2B para gerar leads e resultados mensuráveis.

 

 

Considerações

Parece que estamos caminhando para um marketing mais mecanizado, mas é o contrário. Todos esses mecanismos são desenvolvidos para podermos fazer com que tudo seja mais humano e natural, e muito mais personalizado.

Estamos aprendendo a contar histórias por meio das marcas e assim chegar mais perto dos nossos consumidores, criando um verdadeiro relacionamento entre clientes e empresa. As coisas acontecem muitas vezes sem que nos demos conta, pois quando percebemos, já fomos seduzidos pelas novas ferramentas.

 

Fique atento para aprender com cada novidade e aplicá-la no seu trabalho. Assim sua marca sempre estará atualizada e conectada com seu público.

 

Receba dicas para criar o seu planejamento matador para 2018: clique aqui.

Te vejo na próxima!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This