Com a proliferação dos aplicativos de bate-papo e mensagem instantânea, muita gente costuma falar: “quem usa e-mail?”, “pra que eu quero e-mail?”. São frases de quem não está muito ligado em uma das ferramentas mais eficazes para venda online: e-mail marketing.
Neste post você vai descobrir porque usar essa ferramenta e como começar sua própria lista de e-mails.

 

Não é intrusivo, é permissivo!

Os consumidores gostam de e-mail marketing, porque não é intrusivo. Ele não aparece no meio da tela deles a qualquer momento, ou invade uma história no meio, ou pipoca na sua linha do tempo no meio das fotos do crush. Ele está lá na sua caixa de entrada, onde você vai interagir e se engajar a hora que for mais interessante pra você, e da forma que preferir e permitir.

 

Está em constante evolução, viu? Haja inteligência!

Mesmo que pareça estagnada, essa ferramenta realizou muitas evoluções. O e-mail marketing se tornou mais atraente e interativo especialmente com a adição de vídeos. Ele se tornou uma experiência de entretenimento e não apenas uma forma de empurrar ofertas e promoções. Com layout diferente, abertura para formatos de imagens, formatos variados, ele pode e vai despertar seu interesse de uma maneira especial e inteligente.

 

Ele tem grande alcance, acredite!

Em 2013, segundo a Ricatti (empresa de pesquisas de meios digitais), existiam 3,9 bilhões de contas de e-mail. A previsão é de que neste ano esse número chegue a 4,9 bilhões.
A pesquisa também indica que contas empresariais vão bater 1,1 bilhão em 2017. É só parar para pensar e ver que todas as redes sociais precisam de um e-mail para abrir. Assim como aplicativos, entre outros.
Vai dizer que seu celular não está totalmente integrado a um e-mail? Claro que está! Todo mundo tem um e-mail – ou quase todo mundo, mesmo.

 

E-mail marketing nutre relacionamentos

No inbound marketing, o objetivo é criar conteúdo e por meio dele ter um relacionamento com o público. Fazendo o disparo de mensagens de interesse do público, você cria uma proximidade, consegue gerar uma conversa pessoal com o seu cliente. Se for trabalhado com inteligência, então, você pode até se espantar com o relacionamento que pode criar.
E mais, essa ferramenta também é ótima para o pós-venda e a reativação de clientes. Por isso, ele tem que ser feito de uma forma que seja atrativo para o consumidor, para que tenha uma boa taxa de abertura. Fazendo com periodicidade, esses resultados tendem a ser ainda melhores, podendo o e-mail marketing ser utilizados em diversas etapas do funil de vendas.

 

Possui métricas mensuráveis que vão além do anúncio

Aqui, muito além de clique e engajamento, a gente se depara com o ROI. O ROI (retorno sobre investimento) de campanhas de e-mail marketing chega a até 3.800%. Entre outras métricas utilizadas estão a taxa de crescimento da sua lista, taxa de abertura, taxa de cliques e CTR (click-through rate). Esses pontos determinam a eficiência do ROI.
Pense: Quanto custa fazer um e-mail? E quanto custa responder um e-mail? Bem menos que um anúncio no Linkedin, por exemplo, isso você pode ter certeza! E não é só em relação a custo e compra de mídia, mas a esforço – lembre-se que a pessoa permite receber e-mails seus, ou seja, não é somente o seu esforço de gritar pra todo mundo pra chamar a atenção da pessoa certa.

 

Pode ser automatizado e se tornar eficazíssimo

Ao criar uma lista de contatos, a periodicidade e o conteúdo desejado, o trabalho de automação será muito simples. Basta utilizar uma plataforma como MailChimp, HelloBar, LeadConverter, OptinSkin e LeadIn. Campanhas podem ser planejadas, com antecedência e grandes resultados.
Leve sempre em consideração a lista de contatos que você deseja se comunicar. Pense estrategicamente, separe mensagens, trabalhe o conteúdo para cada um deles e personalize. Foque na pessoa, e não no disparo.

 

Mas como criar a minha lista de uma forma eficaz?

Se tá na dúvida, pequeno gafanhoto, lhe damos uma ajudinha. São 4 passos simples e que vão lhe ajudar nessa empreitada.

  1. Defina quem você quer: trace um perfil com idade, sexo, profissão e os gostos desse público, que estejam em consonância com os objetivos do seu planejamento.
  2. Arme uma isca: ofereça algum benefício, brinde, conteúdo, ou qualquer coisa que seja de interesse do seu público. Assim, ele vai lhe dar o e-mail e se cadastrar na sua lista, sem hesitação.
  3. Seja simples: não peça muitas informações, nem faça um sistema muito burocrático. De preferência que com poucos cliques o cadastro seja feito. As pessoas querem facilidade, então nada de complicar no seu formulário, ok?
  4. Ofereça uma saída: da mesma forma que você vai oferecer uma entrada (opt-in), você precisa oferecer uma saída da lista (opt-out) para que a pessoa não se sinta obrigada e esteja em sua lista, porque realmente tem interesse.

 

Como foi possível perceber, o e-mail marketing sempre esteve e continua em alta, consegue muitos resultados interessantes para empresas e tem tudo a ver com o inbound marketing. Vamos nos relacionar com o público por ele também?

 

Sua empresa está preparada para utilizar bem essa ferramenta? Peça ajuda.

Talvez você goste de ler este conteúdo bacana pra te ajudar a criar conteúdos: o que é marketing de conteúdo e como ele pode ajudar a destacar sua empresa.